segunda-feira, 17 de novembro de 2014

O Estranho Thomas

Um cozinheiro de uma lanchonete em uma pequena cidade norte-americana tem o estranho dom de ver e se comunicar com os mortos e seres das sombras, e usa sua habilidade para resolver crimes e evitar catástrofes. Com o apoio de sua namorada, Stormy, Thomas tenta evitar que um massacre se abata sobre sua cidadezinha, investigando por conta própria um estranho morador, cercado por seres sedentos de sangue.

Depois de tanta insistência, lá fui eu ver o filme. Não é grande coisa, muito menos uma super trama. É uma ação simples, centrada apenas na resolução do mistério para evitar que um matador em massa cause estragos na cidadezinha. Quem não presta atenção perde o essencial do filme: como agem as sombras, e de que forma elas podem manipular as pessoas. Sim, o filme é real neste aspecto - e as pessoas passam despercebido por considerarem parte da ficção.

O interessante deste filme é o relacionamento do protagonista com os mortos e espíritos malignos - como ocorre na realidade. Estes últimos realmente agem daquela forma, manipulando a mente das pessoas para conseguir o que desejam: sangue e destruição. E é o que você vê hoje em dia por aí: pessoas tentadas a destruir e a fazer o mal - além de matar pessoas, promover atos bárbaros. Não é nem a morte em si que interessa, mas o sofrimento, a dor, a agonia.

Apenas Stormy acredita em Odd Thomas (trocadilho que ele explica logo no começo no filme), mesmo sem ter a mesma capacidade de seu namorado. Eles estão predestinados para ficarem juntos para sempre, mas não se sabe quando. O chefe de polícia da cidadezinha não consegue acreditar como os palpites de Thomas são tão certeiros. Até hesita em acreditar no sobrenatural (que é extremamente natural, diga-se de passagem), porém dá valor ao que esse "estranho" diz e toma todas as providências para seu informante não ficar visível.

Uma coisa que parece ficção mas também é real é o dom que Thomas tem de encontrar as pessoas ao acaso. Sim, isso também existe - aliás, esse filme poderia entrar na categoria de baseado em fatos reais. Thomas simplesmente anda em direção ao problema e encontra ao acaso os elementos para resolvê-los - uma pista, uma pessoa morta, sombras rondando pessoas e lugares. Fico pensando se as pessoas realmente querem ter esse tipo de dom.

Detalhe importante: Thomas não é padre, nem possui nenhum poder "mágico" para afastar as trevas. Tudo que ele faz está dentro do mundo material - alertar pessoas, conversar com o chefe de polícia, invadir a casa do suspeito e procurar pistas. E é isso que as pessoas devem fazer: dá para lidar com essas forças sombrias sem precisar de uma réstia de alho ao pé do ouvido. Dá para não ser manipulado, dá para não agir que nem gado, o problema é que as pessoas não querem, estão confortáveis assim. E serão cobradas por isso - em um futuro não muito longe.

Recomendo este filme como uma boa aula sobre "o outro lado" e como um alerta sobre o que está acontecendo no mundo atualmente. Ele não fica fantasiando ou viajando na maionese, simplesmente vai ao ponto sem deixar de perder a realidade do assunto.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Ao clicar em enviar, aparecerá uma caixinha de confirmação.