segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Ame seu dinheiro

Você tem um trabalho e recebe por isso. O dinheiro é uma representação do resultado do esforço do seu trabalho. Se antigamente o que você produzia era trocado pelo que você precisava, hoje em dia o que você produz é trocado por algo que lhe permita adquirir o que você quer e precisa. Basicamente é isso, e independente de você estar satisfeito ou não, é seu e você precisa aprender a valorizá-lo.


Making Change, por Adrian Paulino

Uma observação importante: você realmente está insatisfeito com seu salário? Quero começar com este questionamento porque eu recebo relativamente pouco e faço muita coisa com meu dinheiro - e ainda sobra! Vejo pessoas receberem bem mais do que eu e estarem atoladas em dívidas, e outras tantas que só querem saber de aumentos (mas não sabem me responder quando questiono o que vão fazer com esse dinheiro a mais). Eu sei que ganhar um dinheirinho a mais é bom, mas isso não ocorre com frequência, o que leva à reflexão de aprender a valorizar o que tem, sem se importar com a opinião alheia a respeito.

Quando observamos o que realmente recebemos e o que realmente gastamos, vemos o quanto somos influenciados por quem não se importa com a gente. E quando vamos mais a fundo na questão, descobrimos que podemos fazer muito com pouco. Então sugiro começar pelo básico: seja grato pelo dinheiro que recebe, antes de tudo. Só de você demonstrar gratidão e alegria pelo seu trabalho (por pior que ele seja - eu te entendo, mas faça um esforcinho!), o dinheiro começa a render e você vai vê-lo "sobrar" por aí.

O dinheiro é uma força invisível. Ela pode estar ao seu favor ou não - depende do que você pensa a respeito. Se seus pensamentos são que o dinheiro é sujo, ter dinheiro é algo ruim e que pessoas ricas são malvadas, adivinha o que vai acontecer? O dinheiro vai fugir de você, ele não vai querer ficar com quem não gosta dele (já parou para pensar nisso?). Eu até entendo a questão da circulação de bactérias pelo papel-moeda, mas até aí, nada como um álcool gel depois de manusear.

Dinheiro não é bom, nem ruim. É algo que pode ser manipulado para estar a favor quando você precisar. Não entro ainda no mérito do planejamento de gastos - não adianta calcular tudo de antemão se não valoriza o que tem, o dinheiro some rapidinho. Além de agradecer pelo que recebeu, seja grato por poder gastá-lo - afinal, se você gasta é porque você pode, e muitos não o podem. Não fique com dor no coração porque "gastou demais" - gastos são feitos até quando você não precisa. E olha que coisa interessante: quando você gasta, alguém recebe, e vai poder gastar também, permitindo que outro receba, e por aí vai.

Quando você muda sua visão a respeito de alguma coisa, no caso dinheiro, este também muda. E desta forma, poderá ver de forma clara o que está realmente fazendo com seu dinheiro. E a partir daí que você pode planejar seus gastos - não o contrário. Planejar os gastos pensando preferencialmente em coisas boas, são estas que irão ocorrer. Planejar gastos já pensando em contratempos gera os mesmos - deixe-os para o final. Pensar em fazer um pé-de-meia já ajuda a fazer um. Mas pense em fazê-lo com carinho, não com desespero.

E saiba sobretudo: pessoas ricas não são más somente por causa do dinheiro. O dinheiro em si não faz ninguém mau, mas a vaidade das pessoas sim. E vaidade não possui classe social. Outra coisa: você não é pobre porque outros são ricos - ricos são ricos e problema é deles, a abundância existe para todos sem exceção. Não adiantaria distribuir igualmente renda para todos - o problema se agravaria ainda mais, pois não permitiria que pessoas realmente prósperas recebessem pelo seu merecimento.

Quer ter mais dinheiro, primeiro se pergunte por quê. Depois esquadrinhe alternativas: dependendo do caso, só de ser grato pelo que tem já começa a sobrar dinheiro no bolso. Depois veja se é realmente satisfeito e feliz no seu emprego. A mudança só ocorre verdadeiramente com a mudança de visão - não adianta querer procurar um emprego que lhe pague mais que o faça mais infeliz. Se essa mudança de trabalho for realmente desejada e necessária, só irão abrir portas para oportunidades cada vez melhores.

2 comentários:

  1. Seus textos são sempre tão coerentes, é sempre uma alegria passar por aqui, realmente essa questão de dinheiro é sempre tão ou mais complicada quanto o assunto sexo, as pessoas encaram como um pecado, algo infame de ser comentado, e não é bem assim, sem contar que não é o quanto ganha mas como investimos penso eu. Um abraço o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, coração!
      Não sei o que é mais complicado: falar de sexo ou falar de dinheiro. Aliás, penso em escrever sobre sexo aqui, mas não sei se é permitido. Fico com medo de alguém denunciar e eu perder o blog por pura falta de conhecimento. E eu tenho preguiça de criar outro blog só pra isso, porque ele não teria muito material.
      Ter dinheiro não é pecado, muito menos feio. É mérito da pessoa, e não devemos ficar julgando. É problema dela, não nosso. E por aí vai.

      Investimento é fundamental. Por isso gosto da minha poupança - poupança é preferência nacional (kkkkkkkkk)

      Beijos

      Excluir

Deixe seu comentário. Ao clicar em enviar, aparecerá uma caixinha de confirmação.