terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Dinheiro pelo Dinheiro


Money Background, por George Hodan

Vejo as pessoas juntarem dinheiro apenas por juntar. Não estou falando de juntar objetos, papéis, coisas materiais, mas de juntar dinheiro apenas para ter dinheiro. Até entendo que é necessário ter um fundo de reserva para algum problema no futuro, mas deixar uma quantidade exagerada de dinheiro em detrimento dos próprios sonhos, por nenhum motivo aparente é algo perto do doentio.

Trabalha-se exageradamente hoje em dia. E olha que o fenômeno da hora extra está desaparecendo aos poucos, já que os empregadores não possuem mais dinheiro (ou não querem gastar dinheiro?) para pagar os excessos de seus funcionários. Se antes era produtivo pagar um extra pelas horas a mais, agora tornou-se prejuízo das empresas manterem seus funcionários além do expediente. Aí criou-se o banco de horas: trabalha mais em um dia para trabalhar menos em outro. Mais "prejuízos": naquele dia em que mais se precisa, a pessoa tira uma folga, ou sai mais cedo. Afinal, as pessoas não são máquinas.

Praticamente há uma guerra pelo dinheiro: cortam-se gastos, elevam-se preços, unicamente pelo motivo de juntar dinheiro. Qual o fim disso? Nenhum. E isso gera uma reação em cadeia, onde as pessoas procuram ganhar mais dinheiro para compensar o gasto, porém o acúmulo é sempre a mais para simplesmente ter. Isso exaure qualquer sistema econômico - não pense que isso acontece porque a sociedade é capitalista, isso também aconteceria no comunismo (aliás, aconteceu).

A questão não seria do sistema capitalista, como muitos dizem hoje em dia. É de nós mesmos - nós que fazemos o sistema, viu? Se você pensa que somos controlados pelo sistema, concordo, mas podemos fugir desse controle. Outra coisa: não pense que uma revolução irá detonar tudo e fará uma sociedade mais justa e feliz - isso é falso. Uma revolução só serviria para perpetuar o sistema, já que massas humanas são mais fáceis de serem manipuladas do que pessoas individualmente. De nada adianta a implantação de algo novo em caráter coletivo - os problemas perpetuarão.

Vamos começar a tomar atitudes para frear esse acumulação desnecessária, que não só causa crises econômicas como também crises pessoais e sociais. Vamos começar a comprar e a vender por preços justos e éticos, o que nem sempre é o mais caro ou o mais barato - sempre alguém sai perdendo nestes extremos. Vamos planejar nossos gastos e incluir neles nossos sonhos e prazeres. Adicionar coisas que nos fazem crescer, e retirar o que nos atrapalha - por mais dinheiro que ganhemos em cima disso.

Não tente ganhar dinheiro a mais sem finalidade definida ou mesmo por meios não éticos. Você pode estar tirando de quem realmente precisa, e não ter quando realmente precisar. Nem sempre precisamos de dinheiro para resolver algumas questões cotidianas - deixe a criatividade fluir. Seja grato pelo que tem, e corra atrás do que realmente precisa. Faça um pé-de-meia se achar necessário, mas não deixe de gastar com algo só porque "precisa economizar". Ser menos materialista também ajuda, porque você sai da aparência e começa a observar a essência das coisas boas da vida.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Ao clicar em enviar, aparecerá uma caixinha de confirmação.