terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Cuidado com as tentações!

Grande parte das pessoas pensa nas tentações dentro do dogma cristão do Pecado. Alguma entidade, como o Diabo ou seus seguidores, induziria as pessoas a cometerem erros e falhas simplesmente para deixá-las com a consciência suja e assim não poderem ter direito à graça divina. Basicamente, a tentação seria uma forma de tirar a pessoa do fluxo natural das coisas, atrapalhando seu processo evolutivo e até fazendo com que ela deixe de evoluir. Pensar por essa forma nos livra de preconceitos religiosos sobre o Universo, porque ele é basicamente assim, independente da religião.

Quanto mais concentrados e focados estamos, mais tentações aparecem. Cabe a nós escolhermos seguir em frente ou ficar pelo caminho. Entretanto, algumas tentações na verdade são oportunidades que nos serão úteis no futuro. Sentir e refletir podem lhe auxiliar nesta tarefa. Manter o foco pode ser de grande ajuda quando não se sabe o que decidir. Se for algo bom, aparecerá novamente, em outra hora. Tenha fé.

O grande problema são as tentações sutis. O Diabo não vai aparecer na sua frente de chifrinhos, patas de bode e tridente dizendo "Eu vou te levar". Nada disso. É aquele ator famoso, aquela mulher bonita, aquele empresário ou pessoa pública. O que é ruim nunca aparenta ser ruim. E nem sempre o que aparenta ser ruim é ruim. As aparências enganam, lembra? Fora os comentários que ouvimos das pessoas, lemos na internet, assistimos nos telejornais. Parecem pedrinhas, algumas até doem, fazem a gente pensar em desistir, mudar de caminho. Surgem os questionamentos: é correto, é justo, é barato?

As maiores tentações estão nas pequenas coisas, na burocracia, no obstáculo. Elas te questionam a parar, não a continuar, não a melhorar, mas a desistir. Nem sempre os atalhos são os melhores caminhos, principalmente aqueles que prometem tanto e nada garantem. Na verdade são armadilhas. Os melhores caminhos geralmente são lamacentos e difíceis, mas carregados de aprendizado e experiência. O objetivo pode ser cumprido ou não, mas o caminho para se chegar nele sempre valerá a pena.


Crossing Tracks In The Sand, por Ken Kistler

2 comentários:

  1. Sim quando se fala em tentação logo nos vem os pecados que aprendemos desde a infância, cada um tem sua fraqueza neste sentido e se entrega, realmente as coisas pequenas, corriqueiras é que nos levam a um destino ou outro, mas nós as vezes nem prestamos atenção e ficamos num círculo vicioso que atrasa, entristece e atrapalha o crescimento, seja ele espiritual ou não, tenho refletido muito sobre isso ultimamente e tenho tentado pensar mais antes de fazer alguma coisa.
    Bom assunto esse de hj :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As pessoas pensam muito no sentido cristão do termo, como se ficasse restrito a essa doutrina. E se está restrito a isso, logo os outros estão imunes. Ledo engano.
      É muito difícil perceber que está sendo manipulado. Geralmente pensamos que somos donos da nossa própria vida e fazemos o que queremos, mas não é bem assim. Nos deixamos levar pelos outros, e principalmente pelo sistema. E quando as coisas dão errado, culpamos os outros, não nos responsabilizamos. Seria engraçado se não fosse triste.

      Beijos

      Excluir

Deixe seu comentário. Ao clicar em enviar, aparecerá uma caixinha de confirmação.