terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Intuição x Preconceito

Intuição é quando você antecipa algo antes de acontecer ou vir à tona. Quando você se depara com alguma coisa ou alguém, logo vêm à mente diversas informações, pensamentos, imagens, que podem antecipar coisas desagradáveis que estão por vir. Muitos veem isso como preconceito, que define pessoas e situações a partir de informações pré-estabelecidas na mente. Parece que são a mesma coisa, mas não são. Gera muita confusão, mas quando a mente é apurada e a pessoa evoluída, sabe distinguir bem um do outro.

Muitos confundem intuição com preconceito porque os dois basicamente buscam antecipar conclusões antes que algo realmente aconteça. A intuição trabalha com padrões energéticos, tanto do sujeito quanto do objeto (pessoas, situações-alvo), e esses padrões energéticos se manifestam não só como pensamentos, mas também como sensações. Aquele calafrio, aquele peso no estômago, são indícios intuitivos de que algo não é bom, mesmo quando a mente "racional" diz que o é, por se basear em conceitos sociais, e ideias que são pré-estabelecidas na mente (ou seja, preconceito).


Snowy Owl Eyes, por Petr Kratochvil

Olha que engraçado: muitas vezes preconceito e intuição entram em conflito. Enquanto a intuição alerta que é perigo, a mente considera algo bom, porque possui características "aceitáveis" da sociedade; e vice-versa (a intuição dizendo que é bom, e nossa mente relutando em ir). Quando corpo, mente e espírito estão harmonizados (não significa desenvolvidos, mas funcionando um sem contradizer o outro), os preconceitos dão lugar à intuição, que atua soberanamente no organismo - com a mente agindo conscientemente através. Dá um baita trabalho, mas o caminho é relativamente simples: ignorar o preconceito, prestar atenção na intuição.

"Ah, mas às vezes a intuição erra!" Faz parte. Intuição é como músculo: pra se desenvolver, precisa treinar, dar atenção (quando você treina, você está dando atenção!). Por mais sem noção que seja a intuição, siga-a. Errou? Ok, errou. Acertou? Boa, bora pra próxima. Conforme a intuição vai se desenvolvendo, as informações recebidas serão muito mais precisas (tipo o filme Matrix, em que os personagens aprendem tudo num piscar de olhos, ou melhor, num download). Só devemos ficar alertas para não estarmos dando atenção para o preconceito ao invés da intuição.

Uma coisa normal no meio do caminho é dizerem que estamos sendo preconceituosos - principalmente quando nossa intuição está em alta. É uma armadilha! A intuição não tem por fim desmerecer ninguém através de conceitos arraigados da sociedade. Ela apenas te dá um panorama geral sem que você precise se machucar ou entrar em conflito. O preconceito acaba te prejudicando e te pondo em conflito em nome de valores que nem sempre correspondem a você. É uma questão basicamente de atenção e tranquilidade (a intuição não funciona direito quando estamos nervosos - a mente está agitada e atrapalha o processo).

2 comentários:

  1. Minha intuição é boa, nunca me deixou na mão.
    Preconceito eu sei quando o tenho, e consigo separar as duas coisas, em relação a intuição quando é direcionado a pessoas eu sinto uma coisa ruim, como se fosse algo pesado e desagradável, não consigo ficar muito tempo perto de uma pessoa nessa situação, e tem outras que ao contrário parecem imã rs de tão bacanas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Intuição é basicamente isso. O problema é que é meio difícil de justificar, e o pessoal já pensa besteira >.<

      Excluir

Deixe seu comentário. Ao clicar em enviar, aparecerá uma caixinha de confirmação.