sexta-feira, 3 de julho de 2015

Vilões das Ficções


A ficção é tão real quanto a realidade que nos cerca. Através da ficção, podemos ter acesso ao que as pessoas tentam ocultar. Por isso aquela ideia de que a ficção não existe - é uma salvaguarda pra não entrarem em paranoia coletiva. Claro que não é algo literal, mas algo para ser analisado e refletido. Quando você começa a ler as entrelinhas - da "ficção" e da "realidade" (não existem fronteiras concretas) - tudo muda de figura. O que você achava, de forma tão sólida, perde o sentido, e coisas tão "sem noção" passam a ser reais.

Analisando o "coitadismo social" que a nossa sociedade vem passando hoje, onde as pessoas protegem as vítimas de forma exagerada, como se fossem seres sem capacidade de ação, na ficção não é diferente. Histórias antigas são recontadas de forma distorcida - como se fossem o "lado oculto" a ser visto e considerado como verdadeiro. Digo isso pelo filme Malévola, onde a bruxa malvada da Bela Adormecida nada mais era do que uma fada traumatizada pela crueldade dos homens, como se isso justificasse suas atitudes (que são relativizadas ao longo do filme).

Lendo tanto sobre filmes, séries, HQ's, mangás, ficções em geral, vê-se que o vilão é uma pessoa traumatizada por algum motivo e que não conseguiu superar esse trauma de forma saudável, e suas ações buscam "por pra fora" aquilo que fere por dentro. No fundo, são vítimas de si mesmas (repito: de si mesmas). Falar que os vilões são vítimas da sociedade, ou dos pais, ou de qualquer outra coisa, é justificar sua maldade, e permitir que eles continuem causando danos. Aí o herói que seria o malfeitor, pois combatendo uma vítima da sociedade na qual ele representa. Confuso, mas esclarecedor.

O vilão é uma vítima que precisa ser tratada (não digo no sentido médico, apenas), impedindo-a de causar danos em uma esfera social. Não é de se pegar no colo e trocar fraldinha, aliás, não é pra se fazer isso com vítima nenhuma. Dar apoio é necessário, mas o principal é permitir que cresça por conta própria, para que tome as próprias atitudes. E vilões devem ser combatidos e punidos, para não causarem mais danos. Bem e Mal existem em absoluto, porém estão escondidos em camadas de conceitos e teorias - são extremamente simples e extremamente complexos.

Usar a ficção para entender a realidade em volta é uma forma de se chegar ao fundo de questões aparentemente sólidas e comuns. É questão de ir além, utilizando-se do conhecimento à disposição e a sensibilidade interior. Formar uma opinião, superar um problema também são questões de sensibilidade, além de lógica e raciocínio. É uma questão complexa, que pouco adianta ser explicada aqui em suas minúcias, já que cada um vai formar sua experiência pessoal a respeito.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Ao clicar em enviar, aparecerá uma caixinha de confirmação.