terça-feira, 8 de dezembro de 2015

O importante é o que importa

Eu tenho um temperamento difícil, para não dizer que sou muito chata. E isso já me fez perder muitas amizades e até mesmo dois namoros. Eu me estresso com muita facilidade, e já houve tempos em que eu explodia de raiva (passei a graduação sem lançamento da Enya, rs). Só que depois do afastamento de algumas pessoas muito importantes para mim, fiquei pensando no que eu poderia fazer para evitar esse tipo de coisa... E cheguei a algumas conclusões interessantes. Nessa aproximação da neutralidade, que não possui um rumo definido, as mudanças simplesmente surgem e novos pensamentos ocorrem.

O que é mais importante para sua vida? O que realmente importa? Quais são seus sonhos? Foque neles e no que o leva a eles, e esqueça o resto. Sim, pode esquecer sem medo, porque o que não é importante, ou mesmo quem não o é, acaba indo embora de alguma forma, geralmente dolorosa. E quando algo volta, é porque ele é realmente importante, mas isso não é motivo de preocupação, e sim uma prova de fé.

O desapego não é apenas com bens materiais. Carregar-se de preocupações chega a ser tão nocivo quanto carregar-se de roupas, até porque doar estas é mais fácil que descarregar aquelas. E muitas vezes precisamos de mais coisas materiais do que muitos acham que é necessário. Estar ligado à matéria é importante, para poder ter clara ligação com o espírito e com a mente. E se é importante de alguma forma, é o que importa e deve ser focado. Se o que importa não faz bem, reflita se isso é realmente importante para sua vida. Para algo novo vir, sobretudo algo bom, o que está atravancando nossas vidas tem que sair, dar espaço.

Deixar as coisas irem nos torna cada vez mais leves. Essa leveza pode ser assustadora no começo, mas como diz o ditado: um coração leve vive mais. Não exatamente em quantidade de anos de vida, mas sobretudo em qualidade de vida. Você vive melhor, consequentemente por mais tempo. Ou não! Em alguns casos a longevidade é apenas o apego a matéria que nos impede de ir embora. Queremos estar tão bem de corpo que esquecemos do resto - e um corpo saudável depende também de uma mente saudável e de um espírito tranquilo.

4 comentários:

  1. Concordo plenamente. Sou que nem você também, tenho um temperamento difícil e às vezes é complicado para as pessoas ao nosso redor lidar com nossos momentos de estresse, haha... sem falar no trabalho, né, quando aparece aquele cliente que deixa a gente doida e preocupada XD mas aprendi que às vezes é melhor dizer não para algo que te impede de seguir com a sua vida do que manter aquilo que te faz mal. Pra mim, ter dito não para esse cliente foi complicado. Já trabalhava há um ano com ele e a gente se preocupa porque tem coisas pra pagar e tudo mais, mas eu vi que foi a melhor coisa que fiz, pois estou podendo me focar nas coisas mais importantes e seguindo meus sonhos com mais tranquilidade :)

    Beijos, linda <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu lembro do face aquela vez. Rolei de rir, só eu te entendia. Pessoal meio sem paciência também, reclamando dos outros kkkkkkkkkk
      Tem horas que temos que largar coisas para agarrar outras, principalmente as que nos fazem mal. Não adianta aquilo ser necessário se não nos faz bem. É que nem a história da vaca, temos que empurrar algumas de vez em quando barranco abaixo...

      Beijos, boas festas!

      Excluir
    2. Pois é... E é fogo ter paciência com gente idiota, HUAEHAUEUA.
      Boas festas pra ti também <3 ^__^

      Excluir
    3. Mais ou menos isso kkkkkkkkkkkkkk
      Beijos!

      Excluir

Deixe seu comentário. Ao clicar em enviar, aparecerá uma caixinha de confirmação.