terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Uma (nova) vida sem televisão

Faz cerca de um ano e meio que não assisto à televisão, além de não possuir televisão em casa. Claro que algumas vezes acabo assistindo a alguns programas com minha família, mas não é mais algo habitual. É como se eu me desligasse de uma parte desnecessária da sociedade, liberando uma carga pesada de informações e energias negativas. Com o acesso à internet, posso simplesmente escolher o que eu quero ler, ver ou ouvir, a qualquer hora do dia ou da noite. Para mim, isso é um avanço. Acho que as pessoas tinham que prestar mais atenção sobre.


Praticamente não sei mais nada do que está acontecendo no mundo, e não sinto falta disso. Minha vida segue normalmente: eu sei das coisas que me afetam porque estão na minha vida! Não preciso assistir às notícias sobre violência e atrair essa energia para mim: eu simplesmente tomo cuidado por onde eu ando na rua, independente de onde eu esteja. Para que acompanhar novelas (eu já gostei muito), se a nossa própria vida é cheia de aventuras (se você o permitir)? Claro que não é para ser levado a ferro e fogo, seria incoerente de minha parte. Não é para chegar em qualquer lugar e desligar a tv dos outros simplesmente por não querer assistir.

Quando se deparar com uma tv ligada, apenas a ignore. Não tenha aquela reação de nojo que alguns vegetarianos/veganos têm ao ver um pedaço de carne, não precisa. As pessoas têm direito de escolher seus entretenimentos, e querem de certa forma agradar. Aproveite a situação para ver sob um outro ângulo. A sensação é de como se estivéssemos fora da caixa - muito boa, por sinal. Deixamos de nos apegar a pessoas e a situações que não nos dizem respeito e que nem merecem nossa atenção ou mesmo nossa emoção. É desperdício de energia acreditar que alguma coisa vai mudar só porque temos alguma opinião a respeito.

Estou passando agora experiência semelhante com o Facebook. Enquanto pessoas próximas comentam, e às vezes até brigam, sobre fatos e fotos da rede, eu fico apenas observando, tecendo comentários (mentalmente ou não), mas a sensação é de não pertencer a este mundo. Mas ao contrário do estranhamento das pessoas por não assistir tv (algumas acham absurdo), a respeito do Facebook, algumas até concordam e dizem querer sair também, mas por algum motivo (geralmente vazio, já caí nessa armadilha) acabam ficando. Mesmo na hora de deletar a conta, são feitas diversas perguntas (até apelam com as fotos de alguns amigos), e deixam claro que se você voltar, vai estar tudo como você deixou.

Se você realmente quer, você faz, independente dos obstáculos. Porém para isso é preciso refletir se é isso que realmente quer e se está realmente pronto para aguentar as consequências. É como um vício que se finda: você sente falta dele, sentindo-se capaz de fazer qualquer coisa para tê-lo de volta. Determinação é fundamental para não se deixar levar pela abstinência.

2 comentários:

  1. Palmas pra você. Muitas. Quase não assisto mais televisão porque prefiro gastar meu tempo na internet. Como você mesma disse, pelo menos aqui eu posso escolher o que quero ler/ver. Só assisto mesmo algumas novelas, mas não todos os dias, e masterchef (<3)
    Facebook ainda preciso por causa da faculdade, mas tá difícil ficar por lá.
    Tá certíssima você em evitar más vibrações na sua vida!
    Meu brógui <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, prefiro gastar meu tempo jogando na internet do que assistindo a algo que não vai acrescentar em nada, porque a escolha vai ser minha.
      Estou sem facebook há meses, nem sinto mais falta. *eeee consegui*

      Já ingerimos tudo quanto é tipo de "veneno" em nossa vida, se for reparar: comida que faz mal pra saúde, ambiente poluído das cidades, mensagens negativas em tudo quanto é canto, pessoas que puxam pra baixo... Melhor escolher o que puder para ter uma vida um pouquinho mais sadia...

      Beijos!

      Excluir

Deixe seu comentário. Ao clicar em enviar, aparecerá uma caixinha de confirmação.