terça-feira, 11 de outubro de 2016

Por um Reiki menos místico

A pesada maioria de praticantes de Reiki aqui no Brasil é mística - e isso, para mim, não é uma boa notícia, pelo motivo de restringir a prática a apenas um determinado grupo de pessoas com visão diferenciada da vida. Reiki é para todos, e isso não significa que para praticá-lo deve-se seguir apenas um estilo de vida. Uma coisa é crescer e evoluir, sem deixar de ser você mesmo, e outra é mudar-se completamente apenas para ser visto como "evoluído". Só porque a maioria dos reikianos brasileiros seja esotérica, não quer dizer que você deva ser um ou mesmo que o Reiki faça parte apenas disso.


Esse talvez seja o maior obstáculo para o Reiki ser aceito como uma prática de saúde, seja o nome que deem (terapia alternativa, complementar, integrativa, etc.). O Reiki é associado a algo místico, sobrenatural, divino (no sentido de vinculado a um dogma religioso e/ou afastado das pessoas), e muitos acabam se afastando ou mesmo criando uma visão negativa por causa disso. Não que a pessoa não possa acrescentar ao Reiki sua prática pessoal, afinal, cada pessoa tem seu estilo de vida, mas o Reiki não pode ser associado a uma ideologia específica, forçando pessoas a aceitá-la.

Reiki é simples e natural, não esotérico. Os primeiros textos sobre Reiki o associam à anatomia ocidental e à acupuntura, relacionando o mal estar do corpo com o da mente (além de que a noção de espírito era completamente diferente). O uso dos chakras como parte da prática deu-se no Ocidente, junto com a noção de corpos energéticos e outra definição de espírito, dentro de uma visão esotérica do mundo, parte dos movimentos de Nova Era. Contudo, não se pode pensar que o "certo" estaria na prática original, na busca pelo purismo, nem em se copiar fielmente o que se aprendeu, mas buscar desenvolver o fluxo de energia dentro de si.

Levar a prática a sério é deixar de lado qualquer rótulo que limite o Reiki a determinado grupo ou ideologia e abrir possibilidades em qualquer área ou estilo de vida. Qualquer pessoa pode ser reikiana - não existem pré-requisitos. Não se precisa acreditar em anjos, devas, possessão, Era de Aquário ou o escambau. O próprio mestre Usui afirma que não se precisa acreditar em Reiki para receber um tratamento. A energia existe, o trabalho com ela é real, só que ainda é pouco conhecido pelas pessoas e pouco reconhecido por outros profissionais.

O Reiki convida à mudança, àquela felicidade que se encontra no interior de cada ser. O maior desafio nos dias de hoje é ser você mesmo. A mudança é necessária, um novo mundo se descortina, hábitos são deixados de lado para novos serem cultivados. A pessoa não deixa de ser ela mesma, pelo contrário: ela desabrocha como realmente é, aos poucos. Associar tudo isso a um processo sobrenatural é algo que não faz parte do Reiki (cujo nome é Método Usui de Cura Natural), mas pode ser associado por escolha pessoal.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Ao clicar em enviar, aparecerá uma caixinha de confirmação.