terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Fake News - a verdade inevitável


Eu tenho um apreço por esta expressão, que remete à historiografia e estudo de fontes. Quantas vezes não encontramos notícias, ou mesmo relatos, de realidade duvidosa, e mesmo quantas vezes não nos deixamos levar por eles? História é a construção de uma realidade em um tempo ilusório - geralmente o que querem que permaneça. Distorções e "forjas" de notícias são mais comuns do que se imagina. Já escrevi sobre antes, mas sinto que deveria me alongar um pouco mais a respeito.

O Passado é uma montagem criada por determinado grupo de pessoas, o Futuro é uma ilusão criada pelas projeções de algo melhor, o Presente depende da percepção de cada um. Viver isso, aplicar isso, é pedir para enlouquecer (mais?). Imagine depois de cinco anos de faculdade de História concluir que tudo não deixa de ser uma montagem? Por mais que alguns considerem isso óbvio, quão óbvio isso é para causar mudança?

Liberdade e Realidade andam juntas, se anulam e se potencializam. Quanto mais próximo da Realidade se está, menos Liberdade se tem, e o contrário é verdadeiro também. Ou seja, quanto mais ilusórias as notícias e os fatos, maior a sensação de liberdade que as pessoas sentem: a mente não sabe discernir o que é realidade do que é ficção. Perceba a sensação de sair do cinema ou mesmo após um capítulo decisivo de uma novela televisiva: é como se a pessoa tivesse vivido tudo aquilo, junto com os personagens. Mas para isso você precisa ficar preso a uma sala, a uma tela, a algo externo.

Parece maluco, mas as pessoas precisam de regras, pois não têm evolução suficiente para viver sem. Sair do sistema, da caixinha, seja lá o que for, não é para qualquer um, apesar de todos poderem fazer isso. A ilusão da Liberdade é tão boa! Só seguir algumas regras, que são tão óbvias, que quem não as segue é obviamente mau caráter - ou tão involuído que não possui noção de determinados conceitos sociais. Como discernir? É a mesma coisa que perguntar a um cego a diferença entre as cores que estão diante dele.

Uma pessoa evoluída não precisa que lhe inculquem regras: ela sabe viver em sociedade, e dobrar as regras ao seu favor. Tornam-se imprevisíveis - e isso não é visto com bons olhos. Mesmo criminosos perigosos, se previsíveis, nada são perto de pessoas imprevisíveis. Psicopatas tendem a ser rejeitados pela sociedade por conta de sua imprevisibilidade e falta de controle. Não poder controlar (algo ou alguém) é um medo que permeia o inconsciente das pessoas - basta prestar atenção na reação das pessoas quando algo foge do controle: os instintos vêm à tona porque o "consciente" não sabe lidar com a situação, agindo literalmente como um animal.

Trabalhar o instinto não é controlá-lo, e sim saber viver com ele. A consciência deve basear-se no instinto, e não o contrário. É o que permite ter consciência do controle que buscam exercer diariamente sobre si. Quem controla, quem está no controle? Pode ser qualquer coisa. Talvez a liberdade que buscam não seja algo tão desejável quanto ter consciência do constante controle que é imposto sobre a própria pessoa.

2 comentários:

  1. Ois... o que mais me irrita é noticia falsa no whatsapp, e olha que já falei mais de uma vez pro povo chegar a fonte antes, mas né as pessoas não ligam. =/
    Já desisti e apenas abro o grupo pra não ficar notificação de mensagem nova, mas não leio nada mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, flor :)
      O pessoal nem lê, só passa pra frente, pelo sim, pelo não.
      Seria a "boa atitude" do dia.
      Tem gente que vive de tirar vantagem disso - e assim chegamos onde estamos.
      Bye!

      Excluir

Deixe seu comentário. Ao clicar em enviar, aparecerá uma caixinha de confirmação.