terça-feira, 6 de março de 2018

O Carnaval e Zion


Por um triste acidente, acabei parando no meio de um bloco de rua do carnaval de São Paulo esses dias. Foi uma das piores sensações que eu tive em minha vida, risos. As pessoas pensam que níveis baixos de consciência estão ligados apenas a fome, doenças ou desespero, ou seja, nem cogitam que uma festa poderia ser um evento tão involuído quanto uma fofoca. Quem lembra do Matrix pode pensar na cidade de Zion, que apesar de ostentar-se como o último bastião humano na Terra, não era lá grande coisa.

Enfim, é interessante observar pessoas dormindo quando se está acordado, mas pode ser também uma sensação torturante, já que nada pode ser feito. É, nada. Imagina chegar na pessoa e falar: olha, isso explica tudo que há de negativo na sua vida. Se você não for agredido fisicamente, provavelmente ela vai dizer que você está com inveja dela. Paciência.

Uma festa de Carnaval de hoje em dia é um festival de promiscuidade organizado. Resumindo: é uma ocasião onde eu posso aprontar o que eu quiser, do jeito que eu quiser, que estará justificado. Se isso não for um padrão baixo de consciência, nem vou querer saber o que é, então. Excesso já é algo negativo por si só, imagine então o excesso de coisas negativas: álcool, drogas ilícitas, e mesmo sexo sem sentimento. Para quem gosta de visualizar, imagine a nuvem escura que paira nessas festas - nem dá pra ver direito.

E como semelhante atrai semelhante, um padrão negativo atrai gente negativa, que atrai outras condutas negativas, por exemplo a criminalidade. É comum nessas festas, sobretudo as de rua, terem um alto índice dos mais diversos crimes ou mesmo confusões que são raras em dias "normais". Cabe notar que são coisas que as pessoas não querem e entram em contradição: "quero tirar foto com os amigos, mas não quero ser roubado", "quero pegar todo mundo, mas não quero ser estuprado"... Não adianta "campanhas de conscientização": consciência mesmo é não frequentar esse tipo de evento, não adotar esse tipo de postura.

Zion acaba por cair - talvez seja necessário. Talvez tenha faltado às pessoas o mínimo de consciência. Nessas horas que você entende porque o mundo está como está, e por que "milagrosamente" sua vida está tranquila. Mas, por favor, não pense que Carnaval é época para brincar de retiro - é tão patético quanto um bloco de rua. Entenda: uma coisa é fazer para aproveitar os dias de folga, outra coisa é apenas para dizer que teve uma atitude mais "evoluída". Consciência está nos detalhes.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Ao clicar em enviar, aparecerá uma caixinha de confirmação.