terça-feira, 9 de outubro de 2018

Imunização cognitiva


Recebi recentemente um texto no WhatsApp sobre esse processo, que seria a causa de algumas pessoas não aceitariam determinados raciocínios, por mais lógicos que fossem. Uma pesquisa rápida na internet me apontou que seria mais um texto que circula como corrente, e não um conceito acadêmico ou científico. Contudo, isso não o faz menos interessante, muito menos falso, principalmente porque ele explica de forma simples como funciona a programação coletiva da sociedade, podendo ser aplicado para tudo, não só para o caso que ele utiliza como exemplo (há versões em que se fala do Lula, em outras do bispo Macedo).

Comentei em outro post sobre o conceito de Salvação, que nada mais é que a aceitação e superação dos problemas do mundo. Esse processo é totalmente individual, não podendo ser alcançado através de grupos: no máximo um guia/mentor. Ao entrar mais pessoas, o ensinamento é distorcido para abarcar (e controlar) um número cada vez maior, criando uma reserva de mercado.

O texto acaba mostrando uma parte do processo de doutrinação, que precisa de uma blindagem contra qualquer outro tipo de raciocínio. Além dessa blindagem, é necessária uma retroalimentação, para que a mensagem fique cada vez mais forte: isso é possível através da ação em grupo, que acaba por repetir essa mensagem constantemente, de formas diversas, além de isolar a pessoa de fontes de pensamento contrárias e mesmo combatê-las. Note que isso funciona para qualquer doutrinação, seja ela política, religiosa, ou mesmo para inserir conceitos como o aquecimento global é causado pelo ser humano.

Mesmo o jargão que falei em outro post aparece no texto em questão como recurso - a repetição. No caso, a repetição seria uma forma de resetar a tentativa de reprogramação, e manter a programação vigente - ou mesmo reforçá-la. Isolar-se de pessoas de opiniões distintas ou mesmo não ler fontes divergentes é uma tarefa quase impossível, que pode, inclusive, surtir o efeito contrário: vem à tona que a pessoa está passando por tal processo e ela pode tomar consciência disso.

Interessante notar que as pessoas aceitam a existência da imunização cognitiva quando se fala de um grupo divergente ao seu, mas não que o próprio grupo o faça. Não veja isso como mera estratégia nefasta para dominar o mundo, mas sim como uma forma de programação aplicável à mente humana. Existe a teoria de que a psicologia surgiu primeiro como uma forma de manipulação da mente humana, depois como terapia. Se for pensar que diversos utensílios que usamos hoje em dia foram inventados para a guerra, a teoria é no mínimo plausível.

Pode haver o questionamento se existe uma imunidade contra a imunização, para fazer um trocadilho. Sim e não. Não porque isso faz parte da programação humana, e sim porque você pode usar isso pela sua própria evolução, trilhando seu próprio caminho. O verdadeiro místico é solitário, pois sua evolução acaba por isolá-lo das demais pessoas: estas não o compreendem. Você pode escrever, fazer palestras e vídeos, mas poucos realmente irão entender: quase todos irão seguir seus ensinamentos como mera doutrina.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Ao clicar em enviar, aparecerá uma caixinha de confirmação.