terça-feira, 23 de abril de 2019

Não se engane com o "lugar de fala"


Quando começaram a falar sobre lugar de fala para mim, pensei primeiramente na reserva de mercado, por conta do controle exercido por determinada programação. No entanto, há reservas de mercado positivas, e mesmo necessárias para as pessoas. Ao contrário destas, que buscam se expandir, o lugar de fala busca excluir as pessoas de exporem suas opiniões a respeito de diversos assuntos por não terem determinado perfil, independente de sua experiência e conhecimento.

Preste atenção que o lugar de fala é usado mais para anular a visão de uma pessoa do que permitir uma troca real de experiências, fatos e opiniões. A pessoa só tem o tal lugar se possui um determinado perfil, ligado a um grupo social, com uma visão já consolidada sobre tal assunto. Nessa linha de raciocínio, uma pessoa não-vegetariana não pode falar sobre vegetarianismo apenas por não o ser. Por mais que esta pessoa tenha estudado sobre o assunto, e mesmo tendo passado por tal experiência, o não-vegetariano não tem o lugar de fala sobre este assunto.

Já que a pessoa não tem esse "lugar", sua opinião pode ser descartada sumariamente. Não pense que tendo lugar de fala é possível dar uma opinião contra - não pode. Quase que como uma histeria, cria-se um argumento de que a pessoa perdeu tal lugar. Um exemplo comum aqui do blog: sou uma reikiana que afirma que o reikiano pode comer carne. Para alguns visitantes, eu não tenho lugar de fala sobre o assunto por ter um suposto conceito "errôneo" sobre o Reiki, que é o consumo de carne. Parafraseando um comentário, "você perdeu a credibilidade só por afirmar isso".

Em outras palavras, lugar de fala é uma forma covarde de se mandar calar a boca. Ao invés de falar "na frente" da pessoa que não se importa com o que ela diz, inventa-se um conceito que serve apenas para "proteger" a visão de alguns em detrimento da de outros. Entenda que isso é diferente de você dar mais importância à experiência do que ao conhecimento teórico, ou vice-versa. Neste caso, reflete-se sobre conhecimento concreto, independente do perfil da pessoa. Também não se discute quem é melhor, mas o que é melhor, mais verdadeiro.

Mesmo a reserva de mercado acaba por desenvolver suas próprias premissas, sobretudo para aumentar seu controle. A reserva de mercado, portanto, é incompatível com o lugar de fala. Este não "dá lugar", mas o tira. Quem o utiliza tem medo de ouvir o que não lhe agrada, então acusa que a diferença do outro provoca uma opinião errônea sobre o fato, sendo que na verdade é uma visão de mundo diferente que pode dar mais informações sobre um assunto, dissolvendo preconceitos reais.

2 comentários:

  1. Gostei muito do texto e concordo. Esse tal "lugar de fala" é discriminatório e autoritário. O pior é que os defensores desse discurso falam tanto no "preconceito" de quem não faz parte da panelinha deles, mas são extremamente preconceituosos ao repudiar as opiniões alheias!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde!
      Obrigada pelo comentário. Sim, o preconceito é sempre "dos outros", mas chegam a ser tão preconceituosos quanto.

      Excluir

Deixe seu comentário. Ao clicar em enviar, aparecerá uma caixinha de confirmação.