terça-feira, 30 de abril de 2019

Quando a verdade vem à tona e ninguém vê


A maior parte dos comentários que eu recebo no blog vem de vegetarianos/veganos criticando meus posts sobre o consumo de carne. Todos eles não possuem o mínimo embasamento teórico ou técnico, dando a impressão de que se abstém do consumo de carne mais por fanatismo do que por saúde. Pois bem, nesses dias uma youtuber que pregava um veganismo cru foi pega comendo peixe. Motivo? Determinação médica. A guria estava quase morrendo de inanição pela ausência de nutrientes que o corpo precisava, e seus fãs meio que promoveram um linchamento virtual dela.

Vamos lá: ao procurar a notícia no Google, o engraçadinho não mostrou esta notícia, apenas mostrando resultados de que o "desmascaramento do veganismo" é uma mentira. Bom, o veganismo tem por objetivo a abstenção do consumo de qualquer coisa que tenha algo de origem animal: roupas, comida, utensílios domésticos, remédios, e assim vai. Cria-se uma paranoia que pode ser comparada ao conhecido fanatismo religioso: se não fizer tal coisa, estará cometendo um pecado gravíssimo e será duramente punido, e a pessoa tem obrigação de "converter" outros para sua causa - será que é por isso que esse pessoa vêm direto aqui no blog?

Analisando a própria reportagem, que está mal escrita (por sinal), nota-se que a guria escondeu o problema porque ainda quer voltar à dieta vegana, além dos patrocínios que tinha, fora a acusação de que ela não informa direito sobre o veganismo, e que não se deve seguir a dieta de "celebridades virtuais". O que não trouxeram à tona foi que o problema é justamente o vegetarianismo/veganismo, e que não existe essa de "ah, não é o verdadeiro veganismo". Não vou reiterar o que já disse em posts como sobre carne e produtos de origem animal e mesmo sobre o vegetarianismo na prática do Reiki.

Não é a questão da "fama virtual" que está em jogo, nem mesmos seus patrocinadores, como o jornalista conclui, mas promover uma ideologia alimentar que não tem embasamento lógico algum, apesar de alguns estudos "científicos", o que vai de encontro com a mentalidade revolucionária e mesmo ao esquerdismo como doença, no sentido de pessoas adotarem determinadas ideologias como uma compensação emocional. Apresentar fatos, argumentos, é algo inútil para seus ouvidos surdos que insistem em impor uma visão de mundo destrutiva a longo prazo e em larga escala.

Repare nas armadilhas existentes, em especial no resultado de busca enviesado para determinados resultados e na forma com a qual a reportagem é redigida. Não existe "opinião contrária", mesmo com a busca sendo pela visão contrária; a reportagem tenta mostrar uma pessoa que exagerou na forma com a qual levou o veganismo, que não corresponde com os fatos: veganismo demanda dinheiro, algo que ela conseguia com os patrocínios, que também lhe forneciam os produtos.

No final das contas, o corpo não aguentou, pois, para quem não sabe, o organismo tem dificuldade de absorver nutrientes de alimentos não preparados, agravando o estado de saúde. Repare que todo o alimento ingerido pelo ser humano precisa ser preparado: seja retirando-lhe a casca, lavando-o, cozinhando-o. Além da própria anatomia que exige alimentos mais fáceis de mastigar para deglutir, existe a questão da defesa contra micro-organismos patológicos existentes no alimento cru, que podem causar problemas de saúde sérios, mas que são evitados com o preparo.

Edit: o G1 resolveu publicar uma nova reportagem que tenta refletir sobre os motivos pelos quais youtubers veganos estariam voltando a uma dieta normal. Depois do "sucesso" com suas receitas malucas, os problemas de saúde mostram a verdade: esse negócio não funciona. A "questão financeira", como disse antes, está ligada ao alto custo que é ser vegano, que, como visto, não é só financeiro. Alguém ganha com essa "moda" - e ganha muito bem.

2 comentários:

  1. Ois o/
    Eu eu imaginando se esse povo conseguia manter uma saúde boa sem deixar de comer carne... não conseguia.
    E manter uma dieta saudável já é caro, viver veganamente é mais caro ainda. Nem to comprando mais frutas por falta de dindin, e olha que é só umas frutinhas imagina esse povo que tem todas essas restrições é caríssimo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, fofis!

      Você viu que um modelo teve um treco na passarela? Abafaram o caso de ele ser vegano...
      É caro e não resolve o problema. E ainda querem que todos façam o mesmo.

      Bye!

      Excluir

Deixe seu comentário. Ao clicar em enviar, aparecerá uma caixinha de confirmação.