terça-feira, 21 de maio de 2019

O problema da mesa vazia


A impressão que um funcionário passa ao ter sua mesa vazia é a de que está ocioso. Não se pensa no esforço que ele teve para cumprir suas tarefas, muito menos se ele está em condições para fazer novos serviços. Pensa-se apenas em enchê-lo com mais trabalho, até o limite de não cumprir prazos. Parece que ser um bom funcionário, esforçado e diligente, é algo negativo para quem é honesto e utilizado pela chefia e por colegas mal-intencionados para fazer mais e mais coisas, desproporcional aos seus pares.

Interessante que, na contramão do senso comum, o funcionário de mesa cheia não é esforçado em seus afazeres, mas aquele que não consegue dar conta de seu serviço e acaba o empurrando com a barriga. Quando o serviço está acumulado, as pendências são utilizadas como desculpas pelo trabalhador menos competente para evitar novas atribuições. Quando comecei a trabalhar, meu primeiro chefe comentou: "nunca deixe sua mesa vazia ou irão te encher de trabalho". Dito e feito: parece que cumprir as tarefas antes do prazo traz mais dor de cabeça do que sossego.

Essa questão da mesa vazia faz parte do que é chamado de síndrome do caranguejo no balde. Imagine um balde cheio de caranguejos: dentro há um crustáceo que se esforça em escalar para fugir da incômoda situação. Seus pares, ao invés de tentarem se ajudar para todos saírem, acabam por puxar o corajoso para dentro do balde de novo e continuar sua danação. As pessoas são assim, em um nível que beira o absurdo.

Poucos querem comentar sobre, afinal ninguém gosta de ter seus defeitos trazidos à tona. A primeira defesa que usam é a acusação: se o outro também tem defeitos, não pode acusar defeito de mais ninguém. Ledo engano: apontar o defeito do outro por conta de sua observação não é só assumir o caráter desviado que tem como também querer projetá-lo em quem quer superar os próprios problemas aprendendo com os erros alheios. Não vejo os problemas corporativos serem tratados com a devida atenção, como se a verdade assustasse toda a hierarquia das empresas, chefes e subordinados.

Inveja-se o sucesso alheio, o esforço alheio, até mesmo o sorriso alheio. É triste ver trabalhadores que se esforçam apenas para ver seu colega cair, e mesmo comemorar a queda alheia - na maioria das vezes sem lhe trazer benefício algum. Não se pode comemorar o sucesso de algo, por mais simples que seja. Não se pode comentar que as coisas andam bem - dessa forma simples, sem nenhuma ostentação - que logo o desavisado atrai olhares malignos. Reclama-se de problemas governamentais, mas no dia a dia a velha política ainda é regra.

2 comentários:

  1. Oiiiis o/
    Pois é e se não tem muito serviço ainda querem te encher de serviço!
    Apareceu em um vídeo pra mim que não se deve falar pra todo mundo que está estudando. Depois vem aquela de não comentar seus planos. E assim a gente praticamente "vive escondido", já que nada pode comentar nada porque atrai a atenção indesejável de outros ¬¬.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, flor!

      Infelizmente, não dá para compartilhar as coisas boas que acontecem na nossa vida, pois sempre tem aquele fdp que fica olhando torto e soltando comentário amargo. Aí fica parecendo que a vida está uma porcaria para todo mundo.
      Ainda bem que existem os amigos ^_^

      Excluir

Deixe seu comentário. Ao clicar em enviar, aparecerá uma caixinha de confirmação.