Postagens

Mostrando postagens de junho, 2019

Por o dedo na ferida

Imagem
Lembrei-me de um desenho que vi estes dias: um guri denunciava seus coleguinhas de escola que estavam aprontando, e em determinado momento, a professora chama a atenção do guri falando que isso não era certo. Este então pergunta se não era certo denunciar as coisas erradas, ao passo que a professora não soube responder e acabou utilizando um clichê. A impressão que eu tive foi a de que nem o criador do desenho sabia como sair dessa. Não se pode mais apontar os erros dos outros, virou uma atitude feia. Com isso em mente, crimes deixam de ser denunciados e más atitudes levadas a público: vive-se uma espiral do silêncio. O principal argumento usado é: não acuse se não quiser ser acusado. Dessa forma, ninguém corrige seus erros, ninguém busca dar o seu melhor, nivela-se por baixo. Parafraseando Leandro Karnal: "se você arrancava a cabeça das bonecas da sua irmã quando criança, não pode reclamar da corrupção no Brasil". Um sofisma interessante para ser analisado aqui: não se po

Como ter um blog - Introdução

Imagem
Decidi fazer uma série de postagens sobre como ter um blog. Não digo um blog "famoso", como muitos procuram mas poucos conseguem, mas um blog que possa trazer bons momentos ao autor. Hoje em dia, as pessoas tentam ganhar dinheiro com vídeos no YouTube e acabam mais com prejuízos e frustradas e apenas alguns acabam por se destacar e levar os lucros. Apesar de eu fazer uma série de posts, com minhas experiências em blogs, criar um blog é algo muito simples. Tão simples que essa série está longe de ser um tutorial e está mais próxima de ser uma reflexão sobre o tema. Meus blogs sempre me deram muitas alegrias, pois pude conhecer outros blogs, outras pessoas, outras ideias. Parece que isso se perdeu no meio das redes sociais e na monetização desenfreada. Assim como no YouTube, as pessoas tendem a criar conteúdo em redes específicas (o YouTube não deixa de ser uma), restringindo o acesso aos espectadores, principalmente nos comentários e compartilhamentos. Quantas vezes ao te

O direito de escolha de cada um

Imagem
Por mais que haja sugestões, conselhos, dicas de vida e tudo o mais, quem toma a decisão, quem faz acontecer é a pessoa. Esta deve ser livre para fazer suas escolhas, por piores que acreditemos que sejam. Se as pessoas devem ser livres para acreditar no que lhes convém , também o devem ser para escolher o que querem da vida. Obviamente, não estou levando em conta aspectos como a questão da legítima defesa e a responsabilidade necessária para tal, pelo menos não no momento, pois, apesar de necessário, alguns usam esses argumentos nos dias de hoje para controlar a sociedade, de forma sutil. Permitir que as pessoas possam fazer suas escolhas a nível social é dar espaço para que errem, aprendam e cresçam. Ser tutelado por uma regulamentação excessiva faz com que a pessoa se torne dependente e imatura. A regulamentação deveria, então, ser algo mais fiscalizatório do que restritivo , abrindo caminho para a criatividade e para o crescimento da própria pessoa, pois mesmo os erros ben

Distorções do Feminismo e dos relacionamentos

Imagem
O Feminismo distorceu ideias tão básicas, que ao se refletir sobre elas, o choque é imenso. As pessoas estão tão acostumadas a tais linhas de raciocínio, que ao se ler uma visão contrária, ou às vezes diferente , o sistema é resetado . Eu tive essa impressão ao ler O Poder da Esposa que Ora , da Stormie Omartian. Eu tinha pensado em fazer uma resenha deste livro, mas como o assunto do livro pode ser abordado de forma mais ampla, acabei deixando de lado esta ideia inicial. Ideias repetidas tantas vezes, de pessoas aparentemente diferentes, acabam por ganhar um vulto de verdade que se mostra ilusório. Talvez a primeira ideia chocante do livro seja o que é considerado hoje em dia como subserviência ao marido . Ao invés de a mulher tentar controlar seu homem , Stormie é enfática ao afirmar que a mulher deve aceitar os defeitos de seu marido ao invés de tentar mudá-lo. O Feminismo prega a ideia de que as mulheres devem impor sua vontade aos homens, passando por cima de suas limitações