terça-feira, 30 de julho de 2019

Como ter um blog - Tipos de Plataforma


Continuando o planejamento, está na hora de pensar onde o blog será publicado. Para quem terá um blog profissional, usar o Wordpress.Org (com hospedagem) é quase obrigatório, por conta de sua vasta gama de recursos e dinheiro disponível para investimento. Para quem vai "brincar de blog", a plataforma que mais lhe agradar será a melhor a ser usada.

Nada pior que fazer uso de algo só por estar na moda. Boa parte dos tutoriais sobre blogs (ainda) insistem em "receitar" plataformas e métodos de sucesso. No caso desta série, a ideia é apenas orientar o que pode ser feito, não mostrar o caminho para El Dorado.

Nessas horas penso nas centenas de milhares de canais existentes no YouTube que nunca chegarão a ser lembrados e só trarão estresse para quem queria se divertir. Para quem pensou em apenas ganhar dinheiro, este geralmente o consegue, mas com um trabalho de péssima qualidade para um público de mesma mentalidade. Houve essa época na blogosfera, mas você conseguia descobrir blogs de excelente conteúdo, que não eram tão conhecidos, ao contrário do YouTube, cujo sistema te impede de encontrar um canal interessante.

Há várias plataformas de publicação de textos. Com o tempo, infelizmente, algumas perderam visibilidade, outras fecharam, e algumas redes acabaram por adotar o blog como uma ferramenta auxiliar. Vou comentar sobre as mais conhecidas (ou nem tanto).

Blogger/Blogspot
É a plataforma de blogs do Google. Sua principal vantagem é ser do Google, o que leva muitos a começarem por aqui. O Blogger é simples e intuitivo, mas acaba por ser simplista quando se precisa de maior complexidade, como, por exemplo, no gerenciamento de categorias e arquivos de posts, mas nada que gere preocupação para um iniciante.

Wordpress.com
A plataforma gratuita do Wordpress possui mais recursos que o Blogger, mas menos que o Wordpress.org (auto-hospedado). Não há conflito em inserir recursos Google no blog, nem problemas com categorias ou arquivo de posts. Contudo, a dificuldade em manusear o Wordpress.com requer tempo e paciência - algo que vem com a experiência de postagem.

Wordpress.org (auto-hospedado)
A diferença deste para o anterior é que para ser utilizado é necessário adquirir uma hospedagem (um espaço em um servidor particular). Possui mais recursos, como disse antes, e há maior dificuldade no manuseio. Acaba sendo a plataforma de empresas e blogueiros profissionais, o que não significa que seja a melhor de todas. No caso, a grande desvantagem é o custo em adquiri-la, ao contrário das anteriores, que são gratuitas.

Facebook
Acabei por inserir o Facebook na lista já que muitos acabam por escrever nesta rede para ter mais visibilidade ou mesmo para aproveitar que possui um perfil para criar uma página. As desvantagens são várias: os posts são passíveis de censura e redução de alcance sem aviso prévio; há todo um sistema para controlar o acesso se o dono não paga para divulgar a mesma, e caso haja pagamento para divulgação, o aumento de acessos pode não ser feito por pessoas reais; mesmo as postagens sendo públicas, é necessária uma conta para acessar; não é possível criar uma página sem que o autor possua um perfil na rede, etc.

Twitter e microblogs no geral
A ideia de transmitir mensagens curtas a grandes públicos é tentadora, mas o Twitter não é mais o mesmo: após adotar o mesmo padrão de capilaridade do Facebook (fazendas de cliques e quase obrigatoriedade de pagar anúncios), as postagens acabam não tendo tanta difusão como antigamente, fora que são mais fáceis de serem "adulteradas" ou "plagiadas".

Telegra.ph
A plataforma do Telegram é para postagens e não para blogs. Você não cria uma conta nem um blog, você simplesmente escreve o post e o publica de forma anônima. Pode ser útil em alguns casos.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Ao clicar em enviar, aparecerá uma caixinha de confirmação.