terça-feira, 10 de dezembro de 2019

A Tríade para os níveis superiores: Razão, Amor, Alegria


Como expliquei no post sobre evolução quântica, a partir de um nível mais elevado de progressão da consciência, os níveis parecem não seguir uma ordem lógica, ou seja, não dá para afirmar com precisão em qual nível você se encontra: a calibragem vai te apontar para o momento, e no instante seguinte se encontra em outro. Note que abaixo da Coragem (200, nível neutro), existe uma confusão de níveis, obviamente muito mais instável que o caso dos níveis superiores.

Deve ficar clara aqui a diferença entre os dois casos: no caso dos níveis inferiores, a instabilidade se dá primeiramente pela proximidade entre níveis: estamos a falar de 20 (Vergonha), 30 (Culpa), 50 (Apatia), 75 (Luto). São muito próximos (em escala logarítmica) comparados com 400 (Razão), 500 (Amor) e 600 (Paz). Isso indica a instabilidade de percepção das pessoas. Ela pode superar isso quando começa a superar conscientemente o Luto e o Medo (100). Desejo (125), Raiva (150) e Orgulho (175) podem ser combinados para finalmente chegar ao nível 200 (Coragem): o desejo de querer evoluir, somado ao ímpeto da raiva e o orgulho de si mesmo mostram à pessoa que ela é responsável pela situação em que se encontra e que, por conta disso, pode mudá-la, independente de outrem.

Já no caso dos níveis superiores, o que ocorre são que lições mais avançadas podem ser aprendidas em níveis inferiores, permitindo que a pessoa supere com mais facilidade o nível em que está e passe mais rápido pelos próximos. Nisso os níveis se entrelaçam e ocorre o descrito no começo do post: os níveis de Razão, Amor e Alegria (540) se entrelaçam, mesmo com a barreira existente entre Razão e Amor, algo muito curioso, diga-se de passagem. De acordo com Hawkins, os grandes gênios da humanidade acabam por travar em 499 por fecharem-se em sua própria racionalidade, não vendo o que há além.

E qual é esse ponto de salto entre 499 e 500? A noção da fluidez do universo: a percepção começa a se aproximar do que é conhecido pela Iluminação (700): tudo é igual, mas também diferente. Essa noção da instabilidade das coisas é difícil de ser concebida por quem acha que pondo os neurônios pra funcionar pode se resolver absolutamente tudo. Outro ponto importante da Razão a ser destacado é o do Medo: depois de superado lááááá trás, ele volta de forma mais sólida, exigindo que a pessoa adquira maturidade com as situações da vida. Não é só uma questão de superar o medo mais, mas de utilizá-lo como ferramenta para reflexão.

E o que tem a Alegria relacionada a tudo isso? A Alegria pode ser considerada um subnível da escala Hawkins, pois ela representa uma segunda fase do nível do Amor: o Amor Incondicional. É quando a pessoa começa a seguir conscientemente o fluxo do Universo e disso surge uma espontaneidade natural. Pode-se até falar que a pessoa se torna ela mesma, ou pelo menos começa a se tornar. Apesar das proximidades, prefiro manter a distinção original para efeitos de estudo e assim evitar confusões. São pouquíssimas pessoas que chegam a este nível, o que não significa que seja algo impossível de alcançar.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Ao clicar em enviar, aparecerá uma caixinha de confirmação.