terça-feira, 24 de dezembro de 2019

Causalidade e padrões não-lineares


Seguindo a análise do livro do Hawkins Power vs. Force, dois conceitos que são trabalhados pelo autor são a causalidade e os padrões não-lineares. Basicamente, são aqueles conceitos nova era batidos na internet que as pessoas não têm maturidade para entender e viver aquilo. Já falei outras vezes aqui que é fácil falar todos somos um sem realmente viver isso, ou ter consciência do que realmente seja - isto é apenas uma tradução rasa de algo profundo. O bom de Hawkins é que ele explica de forma séria esses conceitos, mostrando que Iluminação é algo possível a todos.

A causalidade é a relação de causa e efeito das coisas: A causa B que causa C. Isso é o que a maioria das pessoas percebe, o que não significa que seja verdadeiro. Quando da ampliação da percepção e dos níveis de consciência, o encadeamento dilui-se em diversas ligações, tornando-se apenas o padrão ABC, ou seja: nem sempre A causa B que nem sempre causa C, podendo gerar outros encadeamentos. Isso vai de encontro com fatores e vetores que comentei no blog. Uma atitude diferente em um ponto afeta todo o padrão atrator.

O atrator é uma massa de dados relacionados entre si pelo seu nível de consciência. A evolução da percepção permite a pessoa a se ligar com mais e mais informações. Hawkins mesmo afirma no livro que o problema não é a falta de informação, que esta existe em excesso, mas o que é feito com tudo isso. Esses atratores geram campos de domínio, à semelhança de campos eletromagnéticos, que influenciam "invisivelmente" pessoas e situações. Lembra aquele ditado pensamentos são coisas: não deixam de ser, embora de forma extremamente sutil.

Esses padrões não são lógicos à vista dos observadores comuns, geralmente abaixo do nível 200. Interessante notar que é baseado neste tipo de conceito que você tem as estratégias modernas de controle populacional, como as do livro Maquiavel Pedagogo. Ou seja, se você influenciar B, você pode ter A e/ou C depois de um determinado espaço de tempo. Isso lembra o fluxo do universo no qual as pessoas teimam em não seguir.

Padrões elevados podem se sobrepor a padrões baixos e neutralizá-los, pois estes constam naqueles. Estar em contato com coisas elevadas facilita a progressão da sua consciência, podendo-se então classificar objetivamente uma alta cultura e uma baixa cultura. Hawkins dá exemplos sobre no livro True vs. Falsehood, apontando o que seria ou não elevado em nossa sociedade. No entanto, já apontei que algumas dessas calibragens são falhas, requerendo atenção e reflexão.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Ao clicar em enviar, aparecerá uma caixinha de confirmação.