terça-feira, 5 de outubro de 2021

Sobre Padrão de Beleza

Esse sumiço virtual tem um motivo importante. Infelizmente não tenho mais tempo para me divertir escrevendo neste blog - espero que seja apenas uma situação temporária, mas enfim...

Um assunto que me chamou a atenção esses dias foi a questão do padrão de beleza feminino, que para algumas pessoas é tão normal que não percebem seus reais riscos e danos. Talvez não percebam que parte da discriminação existente com algumas mulheres seja por isso.

Lembrando que há o preconceito, instintivo nosso, e a discriminação, programada pela sociedade. Eu fiz essa distinção em dois sinônimos para ilustrar o que ocorre, não que exista uma diferença profunda entre ambas as palavras. A discriminação acaba por embotar o preconceito verdadeiro. Cria-se um novo padrão do que é perigoso, ruim ou indesejável, distorcendo o que realmente é perigoso, ruim ou indesejável.

Indo para a questão estética, não é uma questão de indústria, capitalismo nem nada do gênero: se as mulheres, e mesmo as pessoas num aspecto mais amplo, valorizassem quem realmente são, o mercado de cosméticos continuaria existindo normalmente, pois continuaria existindo oferta e demanda de produtos.

A questão é puramente ideológica: há o grupo que só considera bonita a mulher dentro daquele padrão - um pé fora já é considerada "feia", "incompetente" ou mesmo "inferior". Por outro lado, há o grupo do "grotesco": qualquer coisa, por mais bonita que seja, é considerada "feia, "opressora", e se deve adotar sempre o pior como forma de protesto.

Outro dia estavam comentando do conceito de dracofobia: preconceito a pessoas feias. Isso sempre existiu, mas infelizmente vai tomar uma dimensão ideológica e gerar mais uma camada de censura sobre a sociedade - e não vai resolver a questão do padrão de beleza.

Vamos clarear as coisas, expô-las à luz da razão: usar maquiagem, fazer as unhas, aplicar escova progressiva no cabelo e se vestir com a roupa da moda não faz uma mulher mais bonita - simples assim. Isso pode apenas melhorar o que é já é bonito, não fazer uma "beleza estonteante" surgir do nada. Como diz o meme: "que perfume você está usando? Nenhum, apenas tomei banho."

Infelizmente as pessoas pensam o contrário, abrindo espaço e dando razão para quem confunde vaidade com higiene. Um cuidado básico com o corpo é saudável e necessário - o verdadeiro cuidar de si. É necessário cuidar da própria higiene, e isso não tem nada a ver com padrão de beleza. Agora, se você vai lavar o cabelo com shampoo e condicionador ou fazer todo um tratamento capilar, o problema é seu.

Pode-se pensar que essa é apenas uma questão de adolescentes, mas não é. Mulheres perdem o emprego por estar com o cabelo desalinhado ou com uma roupa mais confortável e discreta - sua competência profissional é deixada de lado em nome da aparência.

O ideal é buscar a famosa e clichê "beleza interior", valorizar o que se realmente é, não porque alguém falou, mas porque é legal e divertido de fazer. Você se diverte passando horas num salão tendo seu cabelo repuxado, ou prefere ficar horas com uma touca enrolada na cabeça enquanto um creme atua? A escolha é sua.

Agora algo que parecerá contraditório: aparência é um negócio externo. Em alguns casos, é necessário parecer "aceitável" para outra pessoa, ou, como eu gosto de falar, "fazer cosplay de ser humano". Justamente para não perder um emprego, justamente para ser ouvida. É necessário ter consciência disso e não confundir as coisas: é limpar a maquiagem no final do expediente e voltar para casa.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Ao clicar em enviar, aparecerá uma caixinha de confirmação.