terça-feira, 30 de novembro de 2021

Godzilla vs. Kong

Esse filme possui uma mensagem implícita muito interessante: o projeto de dominação do mundo por um indivíduo ou grupo. Por mais que a luta entre os dois titãs seja o grande chamativo que levou milhares de pessoas aos cinemas, a história do filme passa longe por esse embate, que é mera parte do enredo. Ao contrário de ser mais um longa que busca distorcer a realidade, Godzilla vs. Kong a expõe claramente, para quem quiser percebê-la.

É conhecido de alguns grupos o termo metacapitalista, uma pessoa que possui tanto dinheiro que busca controlar a sociedade através dele. Longe de ser uma teoria da conspiração, é notória a ação de metacapitalistas em nossa sociedade manipulando governos e implantando políticas de forma indireta, em especial através de ONGs. Como é tudo "comprado", força popular nenhuma consegue sobrepor-se aos seus objetivos - preste atenção ao que ocorre nas redes sociais hoje em dia.

No filme, as manobras obscuras da Apex Cibernética são denunciadas por um infiltrado através de seu podcast, que lembra as atuais mídias alternativas, tão desacreditadas e perseguidas, mas determinadas em mostrar a verdade que tentam a todo custo esconder. Não é um meio de comunicação para muitos, mas para os que realmente entendem o que está acontecendo - e, sobretudo, os que podem fazer alguma coisa, como a filha de um dos diretores da empresa.

O CEO da Apex tem um sonho em mente: desenvolver uma arma capaz de vencer Godzilla. Para isso, usa a antiga rivalidade com o King Kong como cortina de fumaça. Os telespectadores sabem disso porque o filme mostra a situação de forma ampla, mas imagine para as pessoas que foram iludidas pelo jogo de narrativas - conforme notícias veiculadas pela grande mídia do filme.

Enquanto Godzilla circunda a Apex em busca do que o ameaça, King Kong é levado a um local onde estaria a fonte de poder dos titãs, sob o pretexto de encontrarem um novo lar para ele - contendo o combustível necessário para funcionamento do Mecha Godzilla, o grande projeto da Apex, um robô semelhante não só em formato e tamanho, mas com a capacidade de liberar a mesma energia na mesma intensidade.

A rivalidade entre Godzilla e Kong é fundamental para sucesso do plano do CEO: ambos os titãs enfraquecidos não seriam páreos para sua criação. Aí vem a parte importante: vencer Godzilla era apenas o começo. O que fazer com uma arma tão poderosa assim depois? O filme não conta, nem expõe, mas chama a atenção: algo que poderia vencer Godzilla poderia subjulgar o mundo inteiro, pois nenhuma tecnologia seria capaz de fazer frente.

O Mecha Godzilla é derrotado pelo trabalho em equipe: não apenas dos titãs, mas daqueles que ouviram a mensagem do podcast e foram atrás da Verdade. Isso requer uma coragem e um desprendimento quase impossíveis hoje em dia, o que acaba por paralisar a maior parte das pessoas que tem interesse real em fazer algo. Contudo, só de essas ideias não pararem de circular é um motivo de alívio.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Ao clicar em enviar, aparecerá uma caixinha de confirmação.