Polarização

Polarização é a nova palavra da moda que, como sempre, é acompanhada de toda uma estratégia de manipulação. É muito bonito falar sobre como as pessoas radicalizaram suas visões de mundo e que isso deve ser suavizado para haver união. Contudo, por trás desse discurso, há a ideia de forçar o lado contrário a ceder e assim tomar novamente o controle do discurso.

Ilude-se quem acredita que houve liberdade de expressão há uns dez anos atrás: o que havia era o monopólio de uma visão de mundo, que excluía divergências não por meios legais, mas pelos próprios agentes. Diversos assuntos não podiam sequer serem citados, pois uma enxurrada de críticas apareciam para constranger quem divergiu.

Hoje, os meios de censura estão institucionalizados - o que não deixa de ser uma radicalização. Isso consequentemente faz com que os discordantes tornem-se mais firmes quanto a sua visão de mundo. Ceder nestas horas é, infelizmente, entregar o jogo e assumir uma derrota desonrada.

Quem quer controle não tem o mínimo interesse em ceder, assim como um lado da moeda não aceita (de jeito nenhum) a existência do outro, acusando, inclusive, de este não o aceitar. Nesse jogo confuso, perde quem apenas quer falar abertamente sobre os problemas existentes, sem medo de perder o emprego ou mesmo a vida.

Comentários

  1. Um certo grupo defende a existência da pluralidade hegemônica. Que não passa de controle dos divergentes. Ou, a diversidade de pensar dentro de um espectro permitido.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Ao clicar em enviar, aparecerá uma caixinha de confirmação.