Sobre o duplipensamento

Duplipensamento é um conceito criado por George Orwell em seu livro 1984 e é definido pelo raciocínio de ideias logicamente contraditórias mas que fazem sentido em uma mentalidade revolucionária. Na obra, o duplipensamento é de suma importância para evitar quaisquer suspeitas de ser contra o regime, que podem acarretar na morte da pessoa.

A plasticidade de moldar o pensamento para que tudo sempre faça sentido, mesmo sem haver nenhum, faz com que o movimento revolucionário adapte-se às circunstâncias sociais, mantendo seu projeto de poder ao longo do tempo, mudando de aparência sem mudar sua essência.

Aquilo que é considerado pelo vulgo como "hipocrisia" ou mesmo como "incoerência" possui, no fundo, uma razão de existir. Para uma mente reprogramada pelo pensamento revolucionário, a "incoerência" faz todo o sentido, sendo considerado incoerente por mera divergência de opinião ou de visão de mundo e não por fatos ou dados.

O perigo disso está em conclusões erradas a partir de linhas de raciocínio contraditórias. Um exemplo disso é o controle dos meios de comunicação como forma de "garantir" a liberdade de expressão: em um raciocínio lógico, censurar alguns grupos não garante a liberdade de outros, mas sim acarreta no monopólio de um grupo sobre o restante da sociedade. No entanto, seus adepetos acreditam que censurar os considerados "monopolistas da comunicação" permitirá que outros grupos surjam para substituí-los.

Vencer o duplipensamento é bem mais complexo do que desmontar um sofisma - algo que já é bastante trabalhoso. Primeiramente, é necessário desmontar a base do duplipensamento, apontando a contradição e, principalmente, a conveniência que existe junto, para assim dissolver o raciocínio por inteiro.

O grande óbice é convencer de que existe a contradição, tendo em vista que o revolucionário tende a negar a contradição e mesmo a conveniência, apelando para relativismos e, quando estes não surgem efeito, tentativas de inverter o argumento utilizado para gerar embaraços e constrangimentos.

Comentários